segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Meu primeiro Incensário em Falso Vitral



Assim, como prometido, 
já postei minha primeira
mandala em vitral, e agora
trago meu primeiro incensário
usando a técnica do "falso vitral".








 


A grande maioria de meus incensários são feitos com CD's transparentes ou pretos, que vem embaixo de tubos de CD's para venda, ou  os normais, que temos em casa, e até, DVD's.
Assim, além de fazer uma obra de arte, torno meu trabalho sustentável e ecologicamente correto.










Incensário

Um incensário é um recipiente ou vaso de metal pendente de candeias no qual se queimam substâncias aromáticas em honra de Deus ou dos santos. O seu uso nas igrejas cristãs remonta ao século IV.

História

O incensário era na sua origem uma caçoila (espécie de panela de argila ou metal) com brasas acesas, para acender os círios com que se abria o cortejo do imperador romano. Os papas adotaram esse costume, e o turíbulo apareceu não só no cortejo do Papa e do Santo Evangelho, mas também ao redor do altar, umas vezes no chão, outras suspenso no ciborium. No século IX aparecem as incensações do altar, do clero, e dos ministros, incensações estas que se multiplicaram nos séculos seguintes.
Do turíbulo é inseparável a naveta, caixinha de metal em forma de pequena nave, em que se guarda o incenso.


Incenso

Incenso (do latim: Incendere, "queimar") é composto por materiais aromáticos (originado por seres vivos, no caso plantas) que liberam fumaça perfumada quando queimado.
O "incenso" refere-se a substância em si, mais do que o cheiro que ela produz.
Ele é usado em cerimônias religiosas, ritual de purificação, aromaterapia, meditação; Para a criação de um estado de espírito, e para mascarar algum mal odor.

O uso do incenso se originou no Antigo Egito, onde as resinas de goma e resinas oleosas de árvores aromáticas foram importadas das costas da Arábia e Somália para ser usado em cerimônias religiosas.

As formas do incenso tem mudado com os avanços da tecnologia, as diferenças de cultura subjacente, e da diversidade nas razões para queimá-lo. Os dois principais tipos geralmente podem ser divididos em "queima indireta" e "queima direta".
O incenso de queima indireta, também chamado de "incenso não-combustível", requer uma fonte separada de calor, uma vez que não é capaz de queimar-se. O incenso de queima direta, também chamado de "incenso combustível", é acesso diretamente por uma chama e depois se espalha, a brasa do incenso irá arder e liberar a fragrância. Exemplos de incenso de queima direta são varas de incenso, cones ou pirâmides.

 




 


3 comentários:

  1. Lindas as postagens amiga! Continue postando, pois está ficando ótimo!
    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Ficou lindo! Já estou te seguindo!
    =)

    ResponderExcluir
  3. OI Mary... obrigada amiga. conforme o tempo vai sobrando venho postar mais sim! Bjokas e obrigada pela visita!

    Oi Camila! Que bom te ver por aki amiga!!! Volte sempre!
    Bjokas

    ResponderExcluir